domingo, 18 de setembro de 2016

Arte do grafite ilumina ruas de Luanda

Angola Luanda grafite.
"Grafiteiros" sentem~se isolados do mundo cultural

O grafiti em Angola é novo. Os grafiteiros são contados pelos dedos das mãos e em Luanda o movimento é tímido enquanto pelo país não se sente a presença dos artistas de ruas. São raras as referências artísticas a esta manifestação cultural de rua ou urbana.

Mas há seis anos surgiu a Verkron ou verdade colorida, colectivo artístico de grafite. Ao longo de quase dez anos o grupo tem se expressado em várias paredes ou muros da cidade de Luanda. Os membros do colectivo dizem que a arte apresentada tem como base o protesto, contra a falta de união, obscuridade e rigidez mental de muitos angolanos e ignorância do homem. Com o grafite, a Verkron pretende curar o homem do ponto de vista espiritual.
Angola Luanda grafiti.
Os grafiteiros em Angola dizem sentir-se quase sozinhos porque falta o diálogo cultural com as instituições culturais do país.

“Com os nossos fundos temos procurado comprar spray ou látex, matérias importantes para a expressão do grafite. Por isso é urgente levantar a voz de protesto”, disse Jafete.

O grafiti é definido mais que uma linguagem artística, torna-se assim, um importante instrumento de protesto e de transgressão dos valores estabelecidos; em outras palavras, nasce uma nova forma de ocupação do espaço urbano e da percepção artística.

O grafiti sempre foi uma manifestação duramente criticada por muitos, pois em alguns aspectos sua expressão pode ser interpretada como um rabisco que causa mais poluição visual, além de sere considerado um acto de vandalismo.

Muitas polêmicas giram em torno desse movimento artístico, pois de um lado o grafite é desempenhado com qualidade artística, e do outro não passa de poluição visual e vandalismo.

Na hora de avaliar o que a Unap- União dos Artistas Plásticos faz pelos artistas, o grafiteiro Hemak diz estar muito desiludido com a Unap porque “há muito que a instituição governamental cultural não apoia a arte de ateliê. “ “Imaginem a arte de rua ou urbana”, disse.
Angola Luanda grafite.
A arte do grafite é uma forma de manifestação artística em espaços públicos.

A definição mais popular diz que o grafite é um tipo de inscrição feita em paredes. Existem relatos e vestígios dessa arte desde o Império Romano. Seu aparecimento na Idade Contemporânea se deu na década de 1970, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Alguns jovens começaram a deixar suas marcas nas paredes da cidade e, algum tempo depois, essas marcas evoluíram com técnicas e desenhos.

Fonte: VOA.

Bomba explode em Nova York e deixa 29 feridos; prefeito descarta terrorismo

José Romildo – Correspondente da Agência Brasil

Uma bomba de fabricação caseira explodiu na noite deste sábado (17) à noite, no bairro Chelsea, em Nova York deixando pelo menos 29 pessoas feridas. A explosão ocorreu às 20h30, na Rua 23, entre a Avenida das Américas e a Sétima Avenida. Mais tarde, a polícia descobriu que havia outra bomba, na Rua 27, em área próxima. A segunda bomba não explodiu.

A polícia bloqueou a passagem de pedestres e de veículos no local. Uma parte do serviço de metrô foi interrompida. O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que a explosão foi "um ato intencional", mas descartou a possibilidade de terrorismo. A explosão quebrou janelas de um edifício próximo, de cinco andares, provocando o lançamento de estilhaços na rua, e danificou carros. Para reforçar a segurança, integrantes da polícia e do Corpo de Bombeiro vasculharam latas de lixo situadas na área, para checar se havia outras bombas.

Mesmo descartando a possibilidade de ato terrorista, Bill de Blasio observou que as investigações estão apenas começando. "Seja qual for a causa, os nova-iorquinos não vão ser intimidados", disse o prefeito. Ele informou que os feridos tiveram "lesões significativas", mas ressaltou que nenhum corre risco de morte. De acordo com Bill de Blasio, muitas pessoas se feridas ao ser atingidas pelos estilhaços não só da bomba, mas também dos vidros de prédios quebrados por causa da explosão.

Em Washington, a Casa Branca emitiu um breve comunicado sobre o assunto. Segundo o comunicado, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi informado sobre a situação em Nova York, cuja cuja causa permanecia sob investigação. "O presidente está sendo atualizado à medida que surjam novas informações", diz o comunicado.

O candidato Partido Republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, também foi informado sobre a explosão quando fazia campanha em Colorado Springs, no Colorado. A candidata democrata, Hillary Clinton, ficou sabendo do episódio após ter feito um discurso no jantar de premiação anual da Fundação Congressional Black Caucus, em Washington.

Edição: Nádia Franco.

sábado, 17 de setembro de 2016

Para Toffoli, Judiciário pode cometer mesmo erro dos militares de 64

Em palestra em Belo Horizonte, ministro do STF condena “ativismo exagerado” do Judiciário, com “moralismos e batendo palma para doido dançar”.
Foto:Nelson Jr./SCO/STF.
Para o ministro do Supremo Tribunal Federal ( STF) Dias Toffoli, a Justiça corre o risco de “cometer o mesmo erro que os militares cometeram em 1964” se a política for criminalizada e o Judiciário “exagerar no ativismo”. A afirmação foi feita durante palestra em Belo Horizonte (MG), nesta sexta-feira (16).

“Se criminalizar a política e achar que o sistema judicial vai solucionar os problemas da nação brasileira, com moralismos, com pessoas batendo palma para doido dançar e destruindo a nação brasileira e a classe política… É o sistema judicial que vai salvar a nação brasileira?”, questionou.

Segundo o jornal “Folha de S. Paulo”, Toffoli listou momentos em que, agindo como “poder moderador”, as Forças Armadas destituíram governos brasileiros e devolveram mais tarde aos civis.

No entanto, afirma o ministro, após o golpe de 1964, os militares quiseram se achar os donos do poder e se desgastaram.

“Com o desgaste dos militares, porque eles deixaram de ter autoridade moral de ser o poder moderador das crises da federação brasileira, quem acaba por assumir é o Poder Judiciário”, afirmou.

“E nesse protagonismo, o Poder Judiciário tem que ter uma preocupação: também não exagerar no seu ativismo. Se exagerar no seu ativismo, ele vai ter o mesmo desgaste que tiveram os militares.”

Toffoli falaria no evento sobre direito tributário. Deixou o tema de lado porque, de acordo com ele, era “mais importante fazer essas reflexões”.

Segundo o ministro, a Justiça tem que “resolver a crise de maneira pontual” e quando for provocada ou vai haver um “totalitarismo do Judiciário e do sistema judicial”.

“Se nós quisermos ser os protagonistas da sociedade brasileira, começarmos a fazer sentenças aditivas, começamos a fazer operações que tem 150 mandados de busca e apreensão num único dia… Temos que refletir”, finalizou.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações da Folha.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Lava Jato: MPF denuncia Lula, Marisa Letícia e mais seis pessoas

Daniel Isaia – Correspondente da Agência Brasil

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciado à Justiça pela primeira vez no âmbito da Operação Lava Jato. O anúncio foi feito hoje (14) pela força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) responsável pela operação. A denúncia também inclui a esposa de Lula, Marisa Letícia da Silva, e outras seis pessoas.

Os detalhes da denúncia ainda não foram divulgados. Eles serão apresentados em uma entrevista coletiva com integrantes da força-tarefa, prevista para 15h.

Os procuradores afirmam que o ex-presidente recebeu vantagens indevidas referentes à reforma de um triplex em Guarujá (SP) feita pela empreiteira OAS. Segundo o MPF, a reforma foi oferecida a ele como compensação por ações do ex-presidente no esquema de corrupção da Petrobras.

A denúncia também inclui os nomes do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, e do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro. Os outros quatro denunciados são pessoas ligadas à empreiteira Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Paulo Roberto Valente Gordilho, Fábio Hori Yonamine e Roberto Moreira Ferreira.

O MPF investiga ainda se as obras realizadas pela Odebrecht em um sítio frequentado pela família de Lula em Atibaia (SP) também consistem em vantagens indevidas recebidas pelo petista. No entanto, nenhum representante dessa empreiteira foi incluído na denúncia apresentada hoje.

Paulo Okamotto

Em nota, a defesa de Paulo Okamotto informou que “o Ministério Público criou uma corrupção em que não há vantagem ilícita. O valor é pago para a conservação de um acervo considerado como ‘patrimônio cultural brasileiro de interesse público’ pela Lei 8394/9"1.

Conforme o documento, "a nota fiscal foi emitida em nome da empresa que contribuiu, a OAS, e não houve qualquer falsidade. O valor foi para a empresa, que mantinha o acervo em depósito. Não houve lavagem."

De acordo com a nota, "a única lavagem que poderia existir é dos abusos cometidos, da condução coercitiva do presidente Lula e do presidente do Instituto, Paulo Okamotto. Abusos que agora se tentam legitimar sem nada encontrar”, afirmou o advogado Fernando Augusto Fernandes, responsável pela defesa de Paulo Okamotto.

* A matéria foi alterada às 16h07 para inclusão de nota da defesa de Paulo Okamotto.
Edição: Denise Griesinger.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Câmara deve decidir hoje futuro político de Eduardo Cunha

Brasília - Eduardo Cunha confirmou que estará pessoalmente na sessão e poderá se manifestar, reforçando sua defesa
 - José Cruz/Agência Brasil.
Relator do processo contra o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quando o caso começou a tramitar no Conselho de Ética, o deputado Marcos Rogério (DEM-RO) será o primeiro a falar na sessão que definirá o futuro político do peemedebista, marcada para as 19h de hoje (12). De acordo com a Secretaria-Geral da Câmara, Rogério terá 25 minutos para apresentar os argumentos favoráveis à cassação do mandato de Cunha.

Saiba Mais

Depois de quase oito meses em que a representação esteve nas mãos do colegiado, Marcos Rogério formulou o parecer que resultou na continuidade do processo por um placar de 11 votos a nove, em junho. No texto, o parlamentar afirma que Cunha é o dono de pelo menos quatro contas na Suíça - Köpek; Triumph SP, Orion SP e Netherton - e classificou as contas como “verdadeiros laranjas de luxo”.

Os advogados de Cunha terão o mesmo tempo - 25 minutos – para rebater os argumentos de Rogério. O próprio Eduardo Cunha já confirmou que estará pessoalmente na sessão e também poderá se manifestar, reforçando, em 25 minutos, sua defesa.

Com a conclusão desta fase inicial, os deputados que forem se inscrevendo poderão falar por cinco minutos cada. Mas esta etapa da sessão pode ser interrompida a partir da fala do quarto parlamentar, se houver um acordo e a maioria em plenário decidir pelo fim da discussão.

A votação é nominal e o posicionamento de cada deputado será anunciado abertamente pelo painel eletrônico. São necessários 257 votos – equivalentes à maioria simples dos 513 deputados – para que Cunha perca o mandato como parlamentar.

Eduardo Cunha, que foi notificado sobre a sessão na última quinta-feira (8) pelo Diário Oficial da União, deve contar com o apoio de aliados que podem apresentar questões de ordem. O peemedebista quer que, a exemplo do que ocorreu no impeachment de Dilma Rousseff no Senado, a votação seja fatiada, ou seja, que os parlamentares decidam separadamente sobre a perda do cargo e sobre a perda dos direitos políticos.

Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil.
Edição: Graça Adjuto.