domingo, 19 de março de 2017

Serraglio tentou blindar fiscal corrupto e não pode continuar ministro

Então ministra da Agricultura da presidente eleita Dilma Rousseff, Kátia Abreu tentou demitir o fiscal agropecuário Daniel Gonçalves Filho, sobre quem já pairavam indícios de corrupção, mas foi impedida pela pressão da bancada do PMDB no Paraná; Osmar Serraglio, que hoje é ministro da Justiça, chegou a ir ao gabinete de Kátia para pedir pela permanência de Gonçalves Filho, a quem chama de "grande chefe", nas conversas interceptadas pela Polícia Federal; escândalo da carne coloca em risco exportações anuais de US$ 15 bilhões por ano do Brasil e países da União Europeia já ameaçam embargar a entrada do produto brasileiro; Serraglio é também uma das indicações de Eduardo Cunha no governo Temer

247 – Então ministra da Agricultura da presidente eleita Dilma Rousseff, Kátia Abreu tentou demitir o fiscal agropecuário Daniel Gonçalves Filho, sobre quem já pairavam indícios de corrupção, mas foi impedida pela pressão da bancada do PMDB no Paraná. 

Osmar Serraglio, que hoje é ministro da Justiça, chegou a ir ao gabinete de Kátia para pedir pela permanência de Gonçalves Filho, a quem chama de "grande chefe", nas conversas interceptadas pela Polícia Federal, segundo informa o jornalista Josias de Souza:

Não foi por acaso que Osmar Serraglio recorreu ao fiscal agropecuário Daniel Gonçalves Filho, para pedir que acudisse o dono de um frigorífico sob fiscalização no Paraná. No exercício do seu mandato de deputado federal, Serraglio notabilizou-se como um ferrenho protetor político do personagem. Agora, na pele de ministro da Justiça, Serraglio tenta se desvencilhar do seu protegido, acusado pela Polícia Federal de liderar a “organização criminosa” desbaratada na Operação Carne Fraca.

O blog apurou que Serraglio pegou em lanças para tentar impedir que o “grande chefe”, como se referia a Daniel Gonçalves Filho, fosse afastado do comando da superintendência do Ministério da Agricultura no Paraná. Última titular da pasta da Agricultura na gestão de Dilma Rousseff, a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) recebeu Serraglio em seu gabinete no ano passado, antes do impeachment da ex-presidente petista. O visitante estava acompanhado do deputado Sérgio Souza (PMDB-PR), outro anteparo político do fiscal da Carne Fraca.

Escândalo da carne coloca em risco exportações anuais de US$ 15 bilhões por ano do Brasil e países da União Europeia já ameaçam embargar a entrada do produto brasileiro.

Serraglio é também uma das indicações de Eduardo Cunha no governo Temer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário