sexta-feira, 24 de março de 2017

Republicanos não garantem votos e adiam votação da lei do seguro de saúde

Presidente Trump falha esforço final

Redacção VOA - A votação na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos prevista pra esta quinta-feira, 23, da lei que vai substituir a lei sobre seguro médico conhecida por Obamacare foi adiada, por decisão dos líderes republicanos.
Paul Ryan não consegue votos necessários.
Os conservadores não conseguiram garantir os votos necessários para fazer passar a lei, mesmo com a intervenção do Presidente Trump.

O deputado republicano Kevin McCarthy disse que o projeto deverá começar a ser debatido nesta sexta.

O fim do "Obamacare" é uma promessa de campanha do atual presidente americano, Donald Trump.

O Presidente não conseguiu chegar a um acordo com o grupo ultraconservador da Câmara para passar o projeto porque continuem divergências entre os republicanos conservadores e moderados.

O conhecido como Freedom Caucus (Caucus da Liberdade), um grupo de cerca de 30 congressistas da ala mais radical do Partido Republicano, reuniu-se hoje com o Presidente para tentar aparar arestas sobre o conteúdo da lei e fazer com que ela seja aprovada.

A ala mais à direita do Partido Republicano considera que o projeto de lei continua sendo dispendioso demais para o Estado.

Por seu lado, os mais moderados estão preocupados com o aumento previsto do custo dos seguros de saúde para determinados sectores da população e pela perda de cobertura que afetará 14 milhões de americanos a partir de 2018, ano de eleições legislativas.

A minoria democrata se opõe totalmente, o que obriga os líderes republicanos a tentarem limitar as deserções do seu partido a cerca de 20 representantes, de um total de 237.

Nenhum comentário:

Postar um comentário