sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Sem mandado, polícia invade Escola Nacional do MST

Na manhã desta sexta-feira (04), cerca de 10 viaturas invadiram, sem mandado de busca e apreensão, a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) em Guararema 
´Polícia Civil de São Paulo invade Escola Nacional do MST.
Agentes da Polícia Civil invadiram a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) em Guararema, São Paulo, na manhã desta sexta-feira (04) e chegaram a realizar disparos de armas de fogo.

Cerca de 10 viaturas chegaram ao local em torno das 09h25, pularam o portão da Escola e a janela da recepção e entraram atirando em direção às pessoas que se encontravam na escola.

A operação em SP decorre de ações deflagradas no estado do Paraná e Mato Grosso do Sul, ligadas ao caso Araupel, empresa que há décadas explora irregularmente parte de uma área considerada pública no município de Quedas do Iguaçu, no Paraná,

A empresa tem um histórico de conflito e degradação ambiental na região, com a substituição das matas nativas por monocultura de pinus e araucária, visando a indústria da madeira.

O MST havia ocupado duas áreas vizinhas à Araupel no início do ano, como parte da Jornada Nacional de Luta das Mulheres Camponesas. A empresa acionou a justiça estadual pedindo a reintegração de posse, mas o Incra entende que as terras são públicas e a Araupel não tem legitimidade para propor qualquer ação de reintegração de posse.


Leia a íntegra da nota do MST sobre a invasão da ENFF:

Policia invade ENFF sem mandado de busca e apreensão

“Na manhã desta sexta-feira (04), cerca de 10 viaturas da polícia civil e militar invadiram a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) em Guararema, São Paulo.

De acordo os relatos, os policiais chegaram por volta das 09h25, pularam o portão da Escola e a janela da recepção e entraram atirando em direção às pessoas que se encontravam na escola. Os estilhaços de balas recolhidos comprovam que nenhuma delas são de borracha e sim letais.

Neste momento, a polícia está em frente à ENFF. Diante da ação de advogados, os policiais recuaram. A invasão na Escola ocorreu sem mandado judicial, o que é ilegal.

O MST repudia a ação da polícia de São Paulo e exige que o governo e as instituições competentes tomem as medidas cabíveis nesse processo. Somos um movimento que luta pela democratização do acesso a terra no país e a ação descabida da polícia fere direitos constitucionais e democráticos.

A operação em SP decorre de ações deflagradas no estado do Paraná e Mato Grosso do Sul. A Polícia Civil executa mandados de prisão contra militantes do MST, reeditando a tese de que movimentos sociais são organizações criminosas, já repudiado por diversas organizações de Direitos Humanos e até mesmo por sentenças do STJ.”

Da Redação da Agência PT de notícias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário