sábado, 21 de maio de 2016

Paciência com perseguição a Lula e ao PT se esgotou

247 - Falo como militante da esquerda, não em nome do PT ou de ninguém. Não estou há 30 anos na luta para ver a burguesia, sua mídia e seus agentes nos aparelhos jurídicos do Estado - e desgraçadamente com a complacência do Ministério da Justiça do governo Dilma e sua Polícia Federal - organizarem uma poderosa frente "macartista" para destruir o nosso partido, o nosso legado e o maior líder popular da história do Brasil: o presidente Lula.

Enquanto isso, há denúncias e evidências de sobra contra FHC, a Globo, Aécio, Zezé Perrella e a cocaína, etc, etc, etc, e o Ministério da Justiça nada faz! Fala de uma polícia republicana que está se transformando em uma milícia da velha república, a serviço das classes dominantes e da repressão contra a esquerda.

Não dá mais para ficarmos calados diante de tantos companheiros presos inocentemente, como Vaccari e Zé Dirceu, e o Ministério da Justiça e sua Polícia Federal perseguindo o Lula de forma absurda, desumana e desrespeitosa. Vamos esperar prenderem o Lula ou qualquer um de nós que eles acharem por bem "tirar de circulação"?

Não podemos concordar com o desmonte da economia do período lulista , com caráter keynesiano ou rooseveltiano, ou seja lá que diabos queiram chamar, mas que dava ao Estado o papel de indutor da economia e distribuidor de renda, e ver a volta do neoliberalismo que drena os recursos do país para os rentistas e banqueiros.

Não dá pra ver novamente se impor o já anunciado freio e regressão das políticas sociais do período lulista, da qual uma das mais importantes políticas foi o aumento do salário mínimo acima da inflação , cujo desmonte já se anuncia.

É estarrecedor ver um governo eleito pelo povo, que uniu a esquerda e os movimentos sociais para além de nós, e que venceu o impeachment porque os movimento sociais foram para as ruas, agora virar as costas para nós, criminalizar os movimentos sociais com a famigerada lei "antiterrorismo" e fazer acordo com o PSDB para rifar o pré-sal.

Paciência e apego ao poder e aos governos têm limites e podem ser mortais.

Por Washington Quaquá (PT-RJ). Prefeito de Maricá e presidente do PT-RJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário