sexta-feira, 1 de abril de 2016

Presidente da Unimed defende pediatra que negou atendimento a filho de petista

“Se não é emergência, que procure um médico que aceita atender canalhas”, declarou o presidente da Unimed em Bauru (SP), Roberson Antequera Moron. A opinião foi a mesma do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), que apoiou a postura da profissional

Por Redação / Revista Fórum

O caso da pediatra Maria Dolores Bressan, que negou atendimento a um bebê pelo fato de a mãe ser petista, causou indignação em muita gente, mas boa parte da classe médica insiste em defendê-la.

Em entrevista ao jornal Diário Gaúcho, o presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Paulo de Argollo Mendes, inclusive disse que admirava a profissional pela atitude. “Certamente atrás disso tem uma história de desconforto, às vezes militantes de um partido fazem proselitismo constante”, argumentou.

Outro que apoiou a pediatra foi o presidente da Unimed em Bauru (SP), Roberson Antequera Moron. Ele é conhecido nas redes sociais por postagens contra o governo. “Somos seres humanos. Não somos escravos. A única obrigação ética é atender emergência. Se não é emergência, que procure um médico que aceita atender canalhas”, escreveu sobre o fato.

A Unimed é uma das empresas que financiam as chapas que concorrem à gestão dos Conselhos Regionais de Medicina pelo país. O CRM, por sua vez, é a entidade responsável por investigar desvios de conduta como os que podem envolver a postura da médica gaúcha.

Segundo a mãe da criança, Ariane Leitão, que é ex-secretária estadual de Política para Mulheres e vereadora suplente pelo PT, a pediatra acompanhava seu filho desde o nascimento, mas decidiu não atendê-lo mais depois das notícias ligadas à operação Lava-Jato.

Ariane protocolou uma denúncia nos órgãos competentes e trouxe a história a público para alertar para os riscos da intolerância crescente no país. “Compartilho com vocês para mostrar a que ponto de demência essa gente, que não aceita opinião diferente da sua, pode chegar em seus ataques!”, publicou no Facebook.

Foto de capa: Reprodução/Facebook.

19 comentários:

  1. Canalha é o médico que estuda em escola pública e cobra o que quer do povo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. já pensou se essa petista tivesse dado uma surra nessa médica covarde...

      Excluir
    2. Certos médicos e médicas acham que são deuses. Muitas vezes estudam em escolas públicas, portanto às custas do povo. Devem ser remunerados com dignidade e repeitado, mas também devem dar-se ao respeito. Misturar política com a profissão nunca é uma conduta ética. Enquanto não aprendermos a viver a democracia não conseguiremos a paz.

      Excluir
    3. Loki, o erro esta no sistema, que privilegia só os mais abastados, afinal são eles que fazem as leis, isso acontece desde 1500 em nosso país, o nosso país nunca copiou o que deu certo nos países evoluídos, quem estudou em escolas públicas deveria prestar serviço para o governo por um período, pagaria o curso.

      Excluir
  2. Assusta ver como a intolerância pode se espalhar como um pavio de pólvora. ..que é isso? Se não há punição para esse tipo de profissional ele pode xingar e ofender e pouco mais resta para agredir...tem que ser processado e punido...

    ResponderExcluir
  3. Lamentável saber dessa conduta horrível de um profissional da saúde. A punição é para todos.

    ResponderExcluir
  4. A que ponto esses seres que nasceram humanos, se transformaram.

    ResponderExcluir
  5. Salários Altos, atendimento duvidoso e maus costumes da classe médica que se acha quase santa. Pensam como os juízes. Se acham muito "Especiais". è bom irem se acostumando pois na democracia é assim mesmo. Todos tem direitos e não apenas uma casta branca e de branco. Lamentável profissionais tão mal preparaddos para lidar com a vida. Para lidar com gente.

    ResponderExcluir
  6. A classe médica brasileira é uma vergonha. O pior de tudo é que esses médicos que são contra o PT, vira e mexe são pegos como grandes corruptos.

    ResponderExcluir
  7. Deu nojo! Sou Professora é Pedagoga. Já pensaram se resolvessemos não ensinar aos estudantes porque não simpatizamos com as ideologias dos pais? Cadê o juramento dessa diplomada por conclusão de curso? Médico é outra coisa. Deplorável.

    ResponderExcluir
  8. Se duvidar essa infeliz se formou pelo FIES !

    ResponderExcluir
  9. INFELIZMENTE ALGUNS "BRASILEIROS" TEM MEMORIA CURTA DEMAIS:
    Prometo solenemente consagrar a minha vida ao serviço da Humanidade.
    Darei aos meus Mestres o respeito e o reconhecimento que lhes são devidos.
    Exercerei a minha arte com consciência e dignidade.
    A Saúde do meu Doente será a minha primeira preocupação.
    Mesmo após a morte do doente respeitarei os segredos que me tiver confiado.
    Manterei por todos os meios ao meu alcance, a honra e as nobres tradições da profissão médica.
    Os meus Colegas serão meus irmãos.
    Não permitirei que considerações de religião, nacionalidade, raça, "PARTIDO POLÍTICO", ou posição social se interponham entre o meu dever e o meu Doente.
    Guardarei respeito absoluto pela Vida Humana desde o seu início, mesmo sob ameaça e não farei uso dos meus conhecimentos Médicos contra as leis da Humanidade.
    Faço estas promessas solenemente, livremente e sob a minha honra.
    — FÓRMULA DE GENEBRA, adotado pela Associação Médica Mundial, em 1983.

    ResponderExcluir
  10. A que ponto chegamos!?Um médico negar atendimento a uma pessoa por causa de partido político é o fim.E o juramento que fazem fica onde????

    ResponderExcluir
  11. Deus me livre de uma situação dessa acontecer comigo, só ele seria capaz de avaliar minha reação na hora. Começo a me tornar intolerante com pessoas de postura e caráter duvidoso.

    ResponderExcluir
  12. Não será por isso que a unimed está se quebrando em todo Brasil? Não atendo você porque é deste partido, não atendo porque você é negro, índio, homossexual etc. Fecha logo. Quem paga quer ter seu serviço prestado, seu problema resolvido. O próprio iluminismo prega a tolerância, visto que pouco interessa quem entre na loja desde que compre algo. Discurso pobre do ódio.

    ResponderExcluir